DICAS AO VISITANTE

Casa de Veraneio
Não importa se você está passando férias em imóvel próprio ou alugado: tome duchas rápidas, organize a lavagem da louça e não lave calçadas. Água é ouro no planeta, não desperdice.

Alô, fumante!
As bitucas de cigarro demoram até cinco anos para se decompor e não podem ser jogadas na areia. A maioria das pessoas não sabe, mas a areia é viva, formada por vários micro-organismos e fragmentos de conchas, moluscos e crustáceos.

Bom apetite!
Escolha as barracas onde vai consumir petiscos e cerveja. Veja como as garrafas e o lixo são descartados, se algum detrito é jogado na areia. São sinais de que a higiene geral está comprometida, aumentando muito o risco de intoxicação.

Maré Boa
Evite comer sushis e outros pratos com atum – essa espécie está ameaçada de extinção. E só peça camarão, lagosta, siri e caranguejo quando tiver certeza de que vêm da pesca artesanal.

Farofa Chique
Com cadeiras e guarda-sol de tecido (que refletem menos e dão uma sombra mais gostosa), você pode levar, sim, o seu isopor com bebidas e lanchinhos. Desde que, no fim da praia, recolha todo o seu lixo. Nunca deixe rastros na praia!

Relaxe
Chegou ao litoral? Deixe o carro na garagem. Ande a pé ou de bicicleta. Observe a paisagem e entre em outra sintonia. Senão, de que adianta ter saído da cidade grande? Na areia, fuja da aglomeração em volta das barracas, experimente escolher um canto sossegado para sentir o mar. Calma e tranqüilidade são virtudes em extinção. Cultive-as.

Salve os peixes
Você acha que salvar tartarugas, golfinhos e peixes é coisa de militantes? Nada disso. O jeito mais fácil de defender a vida deles é recolher os plásticos durante as caminhadas à beira-mar. Quando a maré sobe, leva os plásticos para o fundo e centenas de animais morrem sufocados ao engolir sacolas plásticas ou garrafas ‘pet’ porque confundem esse material com águas-vivas, seu alimento. Além do mais, os peixes que devoram plástico são contaminados com metais pesados e intoxicam quem os come.

Paraíso Público
Praia é espaço democrático: as boas maneiras precisam preservar o ambiente e também a relação com as pessoas. Jamais ligue o som alto, isso desrespeita quem quer sossego. Não jogue bolinha com raquetes perto de crianças e no meio do bochicho. Pode machucar alguém. E simplifique: nada de malas abarrotadas no verão. O barato de viagem é ir mais leve. Compre o peixe do pescador, vá à quitanda e ao mercadinho. Assim você consome tudo mais fresco e ainda ajuda a economia local.

Cuide das conchas
Esqueça aquela antiga brincadeira de catar conchinhas. Ensine as crianças a observá-las, tocá-las e deixá-las na areia, seu hábitat natural. Nada deve ser retirado da praia, pois cada fragmento do ecossistema tem função. Também não vale comprar artesanato com conchas (de nenhum tipo), caramujos ou estrelas-do-mar. Eles são seres vivos, e esse tipo de consumo desencadeia a coleta predatória.

Protetor x corais
Ninguém deve deixar de passar protetor solar, mas quem for para praias com concentração de corais deve tomar uma ducha antes de entrar no mar e, depois, repassar o produto. O acúmulo de resíduos químicos deteriora essas formações, que são os berçários da fauna marinha. Elas ficam esbranquiçadas e acabam morrendo.

Todos os anos, entre 700 mil e 1 milhão de aves marinhas morrem pela ingestão de plásticos. Além de que 143 espécies de animais estão em risco por causa disso, incluindo as tartarugas.

Fonte: Revista Cláudia


SAIBA MAIS

Dicas para qualquer viagem  |  Planejamento Ideal  |  Segurança em viagem

Dicas para qualquer viagem


• Peça um ou mesmo vários cartões do hotel onde você se hospedar com o endereço e telefone. Isso é particularmente útil em países em que até a escrita é diferente da nossa (Índia, China, Tailândia, etc.) e pouca gente fala inglês. Geralmente nesse caso os cartões vêm com o endereço escrito em inglês de um lado e no idioma local de outro;


Crianças e adolescentes em qualquer lugar do mundo precisam ter no bolso, além do endereço e telefone do hotel, o seu nome e o dos pais ou responsáveis;


• Evite, sempre que possível, aceitar encomendas de “amigos”. Claro que depende de quem lhe pede e do que lhe for pedido;


• Quando for feita a emissão de sua passagem no Brasil, verifique se o seu nome está redigido corretamente, e procure verificar se também está certo na listagem da companhia aérea. Como tudo é informatizado, o fato de o seu sobrenome Silva estar escrito Zilva é suficiente para que ele não seja localizado no computador da companhia;


• Um dos segredos de se viajar barato é ficar, meses antes da viagem, de olho nas promoções de passagens e pacotes: elas sempre aparecem em jornais e revistas de turismo;


• Quando você faz uma compra em qualquer lugar do mundo, paga um imposto que pode estar incluído ou não no preço das mercadorias. Saiba que, na qualidade de turista, pode-se obter, em diversos países, a restituição desse imposto. Informe-se no escritório oficial de turismo local ou na própria loja;


Vários povos têm restrições alimentares que devem ser respeitadas, porque decorrem de suas religiões: por exemplo, você já deve saber que muçulmanos não comem carne de porco; os judeus mais ortodoxos, além de não comerem carne de porco, não misturam carne com leite ou derivados; na Índia não se come carne bovina etc. Portanto, para não passar por ignorante ou mal-educado, fique de olho nos costumes do país onde está e... adapte-se aos cardápios locais!


• Se você se preocupa com o tipo de culinária que o espera, saiba que se pode comer bem em praticamente qualquer lugar do mundo (até na Inglaterra, se não for num restaurante inglês...). Existem restaurantes franceses em Hong Kong, gregos no Nepal, italianos em Cuba, mexicanos na Noruega... Sempre há escolhas!


• Não é demais lembrar: máquinas fotográficas e filmadoras muitas vezes incomodam. Um lugar com hábitos diferentes dos nossos não é um zoológico e jogar um flash na cara de um monge meditando ou de alguém fazendo suas preces é, no mínimo, falta de educação;


• Em alguns países, o assédio sobre os turistas de ambos os sexos é grande. Mesmo que isso alimente o seu ego, não seja ingênuo a ponto de pensar que todas as cantadas que você recebe são desinteressadas. Pode haver segundas, terceiras e até quartas intenções!


• Tenha sempre dinheiro trocado e muitas moedas com você. Motoristas de táxi, por exemplo, nunca têm troco. Normalmente você vai precisar de moedas para usar banheiros públicos;


• Para os estudantes há restaurantes universitários em diversos países onde a Carteira Internacional de Estudante é aceita (sai um pouco mais caro do que para os estudantes locais, mais ainda assim compensa);


• Evite conexões muito apertadas em que você tem que fazer os cem metros rasos de um avião para outro. Ou mesmo de um aeroporto para outro. Sempre que você fizer um vôo com conexão, confirme em que aeroporto ela será feita, pois muitas cidades têm dois (ou até mais) aeroportos, um, às vezes, bem distante do outro. Não despreze o tempo de deslocamento;


• Ter comprado um passe de transporte (aéreo, ferroviário etc.) não garante, por si só, seu assento: é preciso ter reserva e confirmá-la.


• Leve com você o código para chamar o Brasil diretamente ou a cobrar. Lá fora será muito mais difícil obtê-los;


• Leve também os telefones de parentes ou amigos de confiança no Brasil a quem você possa recorrer em caso de algum problema mais sério, do consulado brasileiro, da sua seguradora e de seu cartão de crédito;


• Anote em lugar visível, se possível no passaporte, seu tipo sangüíneo;


• Leve com você cópia de todos os seus documentos importantes: o passaporte (página com sua foto e identificação e páginas com vistos dos países que você vai visitar), a passagem e o Certificado de Vacinação contra Febre Amarela, se for viajar por países em que ele é exigido. Cópias autenticadas do CPF e do RG podem ser úteis em caso de extravio do passaporte;


• Nunca vá a um museu, castelo, palácio, parque etc. sem antes confirmar não só o seu horário de funcionamento, como também se ele estará aberto naquele dia. Isso vale especialmente para lugares distantes;


• Infelizmente, em alguns países, por motivos religiosos e culturais, turistas do sexo feminino viajando sozinhas, ou mesmo acompanhadas, devem evitar roupas que possam ser consideradas “provocantes”, como calças justas e mini-saias. Isso não combina com a cultura local e pode ser motivo de constrangimentos.


• Não é em todo lugar que adoçantes artificiais são consumidos corriqueiramente como no Brasil. Leve o seu;
• Como escolher um restaurante? Depende do seu gosto e do seu bolso, é claro. Mas nunca entre em um restaurante vazio: geralmente é uma “fria”;


Viajar a dois ou num pequeno grupo sai mais barato: uma diária de hotel para uma pessoa custa quase a mesma coisa do que para duas; a corrida de táxi não custa mais caro se forem duas pessoas no lugar de uma. O mesmo vale para aluguel ou leasing de carros. O importante é escolher bem as pessoas com quem você vai viajar. Será que o destino escolhido corresponde às expectativas de todos? Os passeios serão feitos em conjunto? A que horas se pretende acordar? Como serão divididas as despesas? Tudo isso deve ser bem discutido, pois as relações humanas são colocadas à prova numa viagem, quando se convive com as mesmas pessoas quase 24 horas por dia durante muitos dias seguidos - o que não acontece nem na maioria dos casamentos! Um outro ponto importante: os participantes da viagem devem ter orçamentos semelhantes. Se um tem pouquíssimo dinheiro e o outro muito mais, esse será um mau começo. Isso deve ser conversado com toda franqueza antes da viagem.




Fonte: Guia do Turista Brasileiro

Segurança em viagem



• É ilusão imaginar que mesmo em países do Primeiro Mundo você estará a salvo de algum tipo de violência: o turista é sempre um dos alvos preferenciais dos marginais.

• Em primeiro lugar, procure ser discreto. É verdade que no Marrocos ou na Índia você nunca será confundido com alguém do país, mas também não precisa estar com uma placa “sou turista” na testa, no gênero bermuda, camisa estampada, boné e filmadora.

• Nunca transporte o grosso de seu dinheiro nem seu passaporte e documentos importantes em bolsas a tiracolo. Você pode optar pela velha bolsa de tecido resistente, usada por dentro da roupa, fechada com zíper ou velcro e presa com um elástico resistente em volta da cintura. Por precaução, faça-a numa cor clara e anote nela seu nome e número de passaporte.

• Deixe na carteira apenas pequenas somas em moeda do país para os gastos diários. Nunca coloque sua carteira no bolso de trás da calça ou bolsa de mão. Coloque-a no bolso da frente da calça, do blusão ou numa pochete de cintura. Esta, principalmente em lugares lotados, devem estar na frente, nunca na lateral. - Em alguns países os batedores de carteira são tão hábeis que, sem exagerar demasiadamente, diríamos que conseguem roubar sua meia sem tirar a seu sapato! Leve consigo apenas o que for realmente necessário. Evite sair com documentos importantes, carteira profissional, cic, rg, e - se você não vai sair para fazer compras – cartões de crédito. Faça com que, se você for roubado, o prejuízo seja mínimo.

• O passaporte brasileiro é um atraente objeto de cobiça em muitos países, onde chega a ser vendido no mercado negro. Proteja-o. Se for possível, ande apenas com a cópia do passaporte e um cartão do hotel.

• Os cheques de viagem são sua segurança. O que é realmente importante é nunca guardá-los junto com o recibo de compra nem com o passaporte.

• Muitos hotéis possuem cofres de segurança nos quartos ou na recepção: use-os para valores mais altos ou também para os cheques de viagem se você não se sente seguro em deixá-los dentro da mala, no quarto.

• A grande maioria dos furtos ocorre em locais em que há grande concentração de pessoas, como mercados, estações, ônibus, metrô e trens lotados. O roubo de bagagem também é comum nas estações e nos saguões de aeroportos. Fique de olho. Viajando de ônibus pela América do Sul e Ásia, cuidado com bagagem colocada nos compartimentos de carga nas paradas pelo caminho. Outro golpe clássico: ao chegar com as malas na portaria de um hotel, fique atento se três ou quatro pessoas entrarem simultaneamente. Pode ser que não sejam exatamente turistas... e enquanto você está ocupado falando com o recepcionista ou preenchendo sua ficha de hóspede, as malas desaparecem.

• Não ande a pé na rua em lugares desertos ou bairros suspeitos. Esse conselho é particularmente importante em grandes cidades, para pessoas sozinhas e para mulheres, mesmo que estejam em grupo.

• Desconfie de pessoas que o abordem para oferecer um táxi clandestino em um aeroporto ou estação.

•Nas praias, não abandone seus objetos na areia ao entrar na água.

•Cuidado com certas “amizades” e convites de estranhos em viagem. Isso vale duplamente para mulheres viajando sozinhas

•Se alugar automóvel, não deixe a bagagem visível dentro do veículo. Se isso for inevitável, estacione o veículo em um lugar seguro.

• Cuidado com certos tipos de paqueras, sobretudo em países onde existe o chamado turismo sexual: os golpes contra turistas são freqüentes!


Fonte: Guia do Turista Brasileiro


Planejamento Ideal


A realização de uma viagem nacional ou internacional deve ser planejada com antecedência. Requer alguns cuidados com a aquisição do pacote turístico, com a escolha do meio de transporte, reservas de passagens, hospedagem, passeios, aluguel de imóvel ou ainda, a locação de um carro.
Cuidados ao contratar pacotes turísticos

1. Antes de contratar um pacote turístico verifique se a agência de viagem e turismo possui cadastro no Ministério do Turismo. Verifique também junto ao PROCON existência de reclamações contra a empresa. Consulte também o Ministério do Turismo: www.cadastro.embratur.gov.br

2. Não contrate pacotes turísticos por telefone;

3. Não contrate os serviços de empresas ou pessoas que se neguem a fornecer o endereço e o número do CNPJ ou sem contrato;

4. Faça constar no Contrato de Prestação de Serviço o número dos cheques, valores e datas de depósito;

5. Exija que o contrato seja impresso em papel timbrado da empresa, constando endereço e telefone, CNPJ e Inscrição Estadual;

6. Exija o Programa de Viagem com especificação da data e horário da saída e chegada da viagem, local de embarque, tipo de transporte, nome e tipo do meio de hospedagem, traslados, número de refeições, roteiros;

7. Guarde todo o material publicitário. Ele é parte integrante do contrato e suas informações têm que ser cumpridas;

8. Não assine nenhum documento que não esteja totalmente preenchido.


Documentação
Caso pretenda viajar ao exterior, informe-se se o país a ser visitado exige passaporte. Procure providenciá-lo com antecedência. Lembre-se de que obter o visto para alguns locais pode ser bastante demorado. Providencie a autorização para a viagem de crianças desacompanhadas dos pais ou responsáveis ou acompanhadas de apenas um deles. Alguns países exigem outros documentos, bem como atestados de vacinas contra algumas moléstias. Informe-se sobre sua necessidade (ou obrigatoriedade) junto à embaixada ou ao consulado do local a ser visitado.


Seguro de Viagem
Se no valor do pacote turístico não estiver incluso algum tipo de seguro de viagem, você poderá contratá-lo por meio de corretoras ou mesmo por meio das próprias agências. Há muitas opções disponíveis no mercado. A apólice pode abranger não somente doenças, medicamentos e morte, como também extravio de bagagens. Caso possua uma apólice de seguro de vida, cheque com a seguradora se há cobertura para eventuais imprevistos durante a viagem. Lembre-se de que as empresas de cartão de crédito oferecem esse tipo de vantagem aos portadores de cartão internacional.


Meios de Transporte
Informe-se sobre os meios de transporte que serão utilizados (avião, trem, ônibus, barco, navio, peruas, aluguel de carro etc.). Os meios de transporte podem ser fretados ou de linhas regulares. O ônibus é o mais popular meio de transporte em viagens entre um estado e outro.


Traveler's-Check
Ao comprar ‘traveler's-check', pesquise a cotação, observe o preenchimento e confira os valores de emissão. Na compra ou troca de moeda estrangeira (câmbio), informe-se sobre valores que podem ou que devem ser levados. Só compre de operadoras oficiais de câmbio evitando, inclusive, portar moeda falsa.


Bagagem
Outro item importante refere-se à quantidade de bagagem que pode ser embarcada gratuitamente. Informe-se antecipadamente sobre o peso e/ou volume permitidos, assim como o valor a ser pago no caso de eventual excesso.

Atenção: Na alta temporada, muitas vezes não é permitido o excesso de bagagem, nem mesmo pago. Com as passagens em seu poder, compareça ao local de embarque com a antecedência recomendada. Verifique, em cada modalidade de transporte, as peculiaridades e condições que devem ser observadas.


Cancelamentos ou desistências
Fique atento aos casos de cancelamento ou desistência, uma vez que as tarifas promocionais e transporte fretado (ônibus, vôo charter, cruzeiro marítimo, etc.) apresentam inúmeras restrições quanto à possibilidade de devolução de valores, remarcação ou endosso (transferência para outra empresa). Para algumas situações, há a previsão de multa quando da ocorrência de mudanças no ajustado inicialmente.


Transporte Aéreo
Ao adquirir seu bilhete, observe atentamente se a data, o horário, a validade, bem como se o número do vôo estão corretos. Saiba que a passagem aérea é um contrato que estipula as obrigações e deveres da companhia aérea e do passageiro.


Confirme a sua presença no vôo pelo menos setenta e duas horas antes da data marcada. Recomenda-se sempre anotar o nome da pessoa que o atendeu e o código da reserva.


Em caso de atraso por mais de quatro horas do embarque, a empresa aérea deverá transferi-lo para outro vôo com o mesmo destino e serviço equivalente, encaminhá-lo a um hotel, com todas as despesas pagas, ou restituir o valor da passagem. Se o atraso lhe trouxer prejuízos financeiros, você tem o direito de ser indenizado, tanto por danos materiais quanto morais, quando pertinente. Se a companhia aérea vender passagens acima do número de lugares disponíveis no avião (overbooking), impossibilitando o seu embarque, deverá indenizá-lo por danos materiais e morais. Uma vez feito o ‘check-in’, a empresa aérea torna-se responsável pela sua bagagem e deve indenizá-lo em caso de extravio ou danos.


Antes do embarque, faça a declaração de bens na Polícia Federal e guarde o comprovante, só assim poderá provar o que possuía dentro da bagagem, facilitando o ressarcimento pelo valor real de seus bens. Identifique todas as suas malas, sacolas ou bolsas de mão com etiquetas que contenham seu nome, endereço completo e telefone.


Transporte Rodoviário/Ferroviário
Adquira sua passagem, nacional ou internacional, com antecedência, para garantir data, horário e assento de sua preferência. Informe-se sobre a duração da viagem, número de paradas, local do desembarque e se há algum serviço incluído (lanche, refrigerantes, etc.).

Verifique o limite de bagagem que pode ser transportado gratuitamente e a cobertura de seguro disponibilizada. Informe-se com antecedência qual o prazo de que você dispõe para cancelar sua viagem e reaver o valor pago. As empresas rodoviárias também vendem, muitas vezes, mais passagens do que o número de poltronas existentes. Se isso comprometer o seu embarque, você poderá exigir o reembolso do valor do bilhete, além dos danos morais, se for cabível.


Transporte Marítimo
Solicite previamente a planta da embarcação para a escolha do camarote levando em conta a localização, vista, espaço, padrão de acomodação e a facilidade de acesso a escadas e elevadores. Verifique se as escalas previstas serão realizadas efetivamente em portos com infra-estrutura ou se ocorrerão em transbordo (transferência) no mar para embarcação de menor calado (porte). Informe-se sobre o número de refeições e eventuais opções de cardápio, bem como sobre a programação do navio e as atrações disponibilizadas (cassino, show, teatro, cinema etc.), recreação (piscina, sala de jogos, pistas de corrida etc.) e serviços (cabeleireiro, lavanderia, bar etc). Procure informar-se sobre os trajes mais adequados à programação do navio e lembre-se que áreas fechadas da embarcação são climatizadas por ar condicionado. Considere, no seu orçamento eventuais despesas não incluídas no pacote, tais como passeios nos locais de escalas, visitas a pontos turísticos, bebidas, refeições etc. Fique atento às orientações de encaminhamento da bagagem.


Aluguel de Carro
Verifique antecipadamente as exigências para locação, utilização, devolução, prorrogação de uso do veículo e rescisão do contrato (as empresas costumam exigir cartão de crédito, inclusive como garantia). Não assine notas ou faturas em branco. Ao alugar um veículo para ser usado em outro país, procure verificar se as diárias poderão ser pagas antecipadamente. Aqui no Brasil, os extras, como seguros opcionais ou obrigatórios, impostos e combustíveis, normalmente são quitados no local da devolução. Ao fazer sua reserva, informe a agência sobre o modelo de carro que você deseja: tipo, ano de fabricação, equipamentos opcionais etc. É essencial avisar à locadora o período em que pretende utilizar o carro, a companhia aérea, o número e horário do vôo de chegada, a data da retirada, bem como a data e o local previstos para a devolução do veículo. Não se esqueça de providenciar a carteira de motorista internacional, alguns países exigem este documento e informe-se sobre a legislação de trânsito do local a ser visitado. Ao retirar o carro, examine-o cuidadosamente para verificar se o mesmo se encontra em perfeitas condições ou apresenta algum tipo de avaria. Avise imediatamente à locadora caso o carro for roubado, danificado ou esteja apresentando problemas de ordem mecânica, para que a troca possa ser efetuada.


Hospedagem
Dentro das opções do local escolhido para a viagem, verifique quais são os tipos de hospedagem oferecidos (hotéis, pousadas, fazendas, vilas, chalés, ‘resorts’, ‘camping’, ‘trailers’, etc.). Cheque, com antecedência, os serviços de infra-estrutura do empreendimento (refeições, lazer, recreação, atrações, sistema de ar condicionado, telefone, cofres, lavanderia etc.), bem como a forma de acesso ao local (estradas ou ruas asfaltadas, balsas ou barcos, iluminação, sinalização etc.). Ao efetuar sua reserva, procure solicitar documento de confirmação por escrito, contendo as formas de pagamento, tipos de acomodação, prazos e multas em caso de cancelamento. Ao decidir pelo cancelamento da reserva, comunique o fornecedor por escrito e com antecedência e exija que lhe seja enviado um documento confirmando o recebimento do cancelamento. Procure estar de posse dos ‘vouchers’ (vale ou comprovante que o passageiro apresenta em hotéis, locadoras, companhias aéreas etc) com antecedência. Ao chegar ao local de hospedagem, coloque objetos de valor (jóias, dinheiro, documento etc.) no cofre e guarde o comprovante do depósito. Saiba que o fornecedor é responsável pelo desaparecimento ou danos em bagagens e objetos dos hóspedes que estejam sob sua guarda. Informe-se sobre o período que compreende a diária e da eventual possibilidade de prorrogação da estadia.


Passeios
Verifique se os traslados, passeios ou visitas a pontos turísticos estão inclusos no pacote. Informe-se sobre o valor dos ingressos, traslados, lembranças etc; Alguns eventos exigem a aquisição de ingressos com muita antecedência (peças de teatro, óperas, finais de jogos ou competições, exposições etc.). No caso de museus, informe-se se o acervo estará disponibilizado na data agendada da visita, evitando desapontamento. Visitas a parques abertos de diversão só combinam com condições climáticas favoráveis, portanto, deve-se verificar antes da compra de pacotes ou passagens, a melhor época do ano para o efetivo aproveitamento. Procure informações em guias turísticos (livros/almanaques/folders, etc.) ou centrais de atendimento ao turista.


Aluguel para Temporada
A locação de casas ou apartamentos para temporada (período de férias) não pode ultrapassar noventa dias. Nas locações para temporada, o proprietário pode requerer todos os aluguéis de uma só vez e antecipadamente; faça sempre um contrato por escrito indicando as condições em que se encontra o imóvel e a descrição dos móveis e objetos que fazem parte da residência. Peça informações detalhadas sobre a localização, capacidade, acomodações, disponibilidade de garagem, forma de acesso e segurança do imóvel. Informe-se sobre o local de retirada e entrega das chaves solicitando que seja feita vistoria conjunta tanto na entrada como na saída.


Se o imóvel for em condomínio verifique a infra-estrutura disponibilizada (playground, piscina, salão de jogos, etc.) e as regras básicas da convenção e regulamento interno do condomínio. Faça valer seus direitos exigindo que toda a contratação seja documentada e que os valores desembolsados sejam lançados em recibos ou notas fiscais. Em caso de dúvidas, procure um órgão de defesa do consumidor de sua cidade.

Fonte: Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico e Turismo
 




Todos os direitos reservados